Facebook Popup Widget



   Artigos

 Dicas de Poker no facebook Dicas de Poker no Twitter Clube Dicas de Poker

22/04/2009


Usando um colete à prova de balas
(por David Apostolico)


Uma linha tênue separa um pagador de um gênio. Muito da sabedoria aceita em no-limit poker diz que você deve desistir ou aumentar. Pagar é para aqueles com tendências masoquistas. Existem momentos, no entanto, em que eu pense que um call seja perfeito, necessário às vezes como auto-defesa. Em vez de considerá-lo uma jogada fraca, imagine-o como um manto de segurança, ou, mais apropriadamente, como um colete à prova de balas.

Uma das coisas que eu mais gosto de ver é um jogador que dá três tiros no pote quando não acerta nada no bordo. Disparar múltiplos tiros é uma excelente maneira de jogar contra a maioria dos oponentes. Se você aumentar pré-flop, deve continuar a ser agressivo pós-flop. Existe um ditado conhecido no mundo do poker segundo o qual "um amador dispara um tiro no pote, enquanto um profissional dispara dois ou três". Se você não conhecer esse fato e ocasionalmente se defender, está basicamente convidando a mesa inteira a lhe roubar sempre que um flop não lhe beneficiar.

Quando eu sei que meu oponente está prestes a disparar três tiros extras, eu o ofereço a oportunidade de blefar entregando suas fichas a mim. Em um torneio recente, eu queria pegar um oponente bastante agressivo. Ele aumentou de posição final e eu paguei do big blind com J 9. O flop veio Q J 3. Eu pedi mesa, e ele apostou forte. Eu paguei. O turn trouxe o 4. Mais uma vez, pedi mesa. Eu ainda tinha plena convicção de que minha mão era mais forte e de que meu oponente tentaria me assustar e me fazer desistir dela. Ele fez novamente outra aposta enorme. O river me deu a melhor carta possível – o A. Eu tinha a segunda melhor mão possível depois de acertar um flush na última carta. Eu esperava que meu oponente tivesse um às. Pedi mesa, e ele foi de all-in. Eu paguei imediatamente, e ele relutantemente virou A-3, mostrando seus dois pares. Ele fez um comentário sobre quão sortudo eu tinha sido, e depois se perguntou quando ele aprenderia a não apostar contra jogadores que não sabem largar uma mão.

Obviamente, depois do flop, eu tinha a melhor mão o tempo todo. Eu sabia disso e deixei meu oponente blefar suas fichas em minha direção. Em geral, eu não sou fã de slowplay, e é muito arriscado fazer isso com uma mão tão vulnerável como era a minha, muito embora eu estivesse convicto de que estava com a melhor. Se eu tivesse apostado ou aumentado em qualquer momento, eu poderia ter tido alguma idéia da mão de meu oponente. Nesse caso, contudo, eu não achei que precisava fazer isso. Eu sabia o suficiente sobre ele para compreender que a melhor maneira de maximizar meus lucros nessa oportunidade seria deixá-lo apostar antes de mim em cada rodada.

Eu também fiquei feliz ao ver meu oponente reagir da maneira como reagiu. Eu não apenas levei um pote considerável, como fiz com que ele, a partir dali, pensasse duas vezes antes de disparar tiros contra mim. Outro ótimo benefício adicional foi a propaganda gratuita para o resto da mesa. Alguns dos oponentes mais astutos perceberam o que eu estava fazendo, mas eu sei que outros acharam que eu estava simplesmente tentando formar um flush.

É incrível a quantidade de vezes em que eu testemunho jogadas similares (seja ocorrendo comigo ou com outros), e a reação do jogador agressivo é sempre de indignação, pois ele não consegue acreditar que o vencedor da mão poderia pagar. Entretanto, em alguns casos, eu realmente acho que alguns jogadores são apenas "pagadores", que dão call com cartas marginais rezando para que tenham a melhor mão, em vez de fazer uma boa leitura sobre o oponente. Porém, eu tenho certeza de que muitos desses chamados "calling stations" estão explorando completamente seus oponentes super-agressivos, de modo a maximizar os lucros.

Eu creio que a arrogância do jogador, demonstrada quando alguém paga e ele é pego blefando, é bastante reveladora. Tais jogadores acreditam que têm direito ao pote por causa de seu supostamente correto estilo agressivo, e seus oponentes se comportam como idiotas para seu próprio bem. Embora isso possa ser verdade às vezes, eu acho que muitos dos famosos "pagadores" são muito mais astutos do que se imagina.


Artigo de David Apostolico, publicado na revista Card Player Brasil Ano I, N°. 10.




Gostou do artigo? Deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos.