Facebook Popup Widget



   Artigos

 Dicas de Poker no facebook Dicas de Poker no Twitter Clube Dicas de Poker

14/11/2009


Simplificando os perigosos blefes de check-raise
(por Ed Miller)


Jogando fora de posição


Jogar fora de posição em no-limit hold'em lhe coloca em grande desvantagem. Consequentemente, eu recomendo que você evite o máximo possível. Aquele ameaçador oponente no assento 4 fica aumentando seu blind? Durante a maior parte do tempo, eu digo, dê o troco.

Quando você está jogando com estoques de $200, um insignificante blind de $2 não é grande coisa. E é bastante fácil perder boa parcela de seu estoque tentando "mostrar raça" com uma mão como J-7 depois que o flop traz um 7. Portanto, eu geralmente largo J-7, e espero até estar no button.

Mas não há como evitar jogar fora de posição às vezes. Digamos que você tenha K-Q no big blind e um jogador loose-aggressive aumente da posição cut-off. Sua mão é muito forte para se dar fold. Pagar é bom, assim como reaumentar (eu escolheria uma ou outra opção dependendo das especificidades da situação). Digamos que sua decisão seja pagar. Agora, você está jogando fora de posição.

Em geral, a mão vai continuar da seguinte maneira: você não será beneficiado pelo flop, vai pedir mesa e seu oponente irá apostar.

Jogadores agressivos fazem continuation-bets no flop grande parte das vezes. Alguns chegam a apostar sempre. Se você simplesmente desistir toda vez que o flop não fornecer ajuda, está jogando as mãos de seus oponentes. Para ganhar sua parte, às vezes é preciso fazer um check-raise blefando.

Mas definitivamente não se pode fazer isso sempre. Se fizer, seus oponentes vão perceber e sua taxa de sucesso vai cair. Portanto, escolha suas oportunidades. Eis meu guia para selecionar as melhores situações:



Escolha jogadores
loose

Joe McRock acabou de abrir raise na posição under the gun. Ele é supertight, então você acha que ele provavelmente tem um par de ases, de reis, de damas, de valetes ou A-K. Um jogador paga, e você, com 3 3 no big blind, também dá call.

O flop vem J 7 4. Você pede mesa, Joe aposta dois terços do pote e o outro jogador desiste. Essa oportunidade é péssima para um blefe. Em média, a gama de mãos de seu oponente é simplesmente muito forte para se blefar de forma lucrativa.

Essa seria uma oportunidade muito mais atraente para blefar se o jogador que aumentou possuísse um perfil loose. Caso fosse seguro esperar que ele às vezes estivesse com mãos como A 3, 8 6 ou K 9, um check-raise blefando funcionaria muito melhor.



Observe os tamanhos dos estoques

O tamanho do estoque é o fator mais crítico em quase toda decisão em no-limit, e não é diferente quando se trata de blefes. Ao executar um blefe de check-raise, você não quer que os estoques sejam muito pequenos nem muito grandes. Você os quer do tamanho certo.

Eles serão muito grandes se seu oponente achar que pode pagar seu check-raise e "esperar para ver" o que acontece mais tarde na mão. Por exemplo, digamos que você esteja jogando $1-$2 com estoques de $500. Alguém abre raise de $10 e você paga no big blind. O pote contém $21.

O flop vem, você pede mesa, seu oponente aposta $15 e você aumenta (check-raise) para $50. Se oponente precisa pagar mais $35, mas ainda há mais $400 restantes nos estoques. Seu oponente pode pagar com mãos fracas como uma queda para gaveta ou um par baixo, concluindo que as apostas não ficaram "grandes" ainda.

Se você fizer um check-raise blefando contra tais estoques grandes, deve estar preparado para às vezes atirar novamente mais tarde se seu oponente pagar.

Agora digamos que seu oponente tenha um estoque de $60. Ele abre com $10 e você paga. O flop vem, você pede mesa, ele aposta $15 e você aumenta (check-raise) para $50.

Como isso é tudo que ele tem, ele pode muito bem pagar apenas com draws modestos ou mãos fracas, concluindo que não pode perder muito mesmo que esteja derrotado.

Você deve querer que os estoques sejam suficientemente grandes para que seu oponente tema perder um grande pote, mas não a ponto de fazê-lo crer que a aposta não é sequer grande.



Ataque as apostas fracas

Seus oponentes com frequência vão dar informações sobre a força de suas mãos logo na aposta do flop. A inclinação natural de muitos jogadores é apostar mais com boas mãos e menos com as fracas. Quando eles estão fracos e querem que você desista, podem apostar metade do pote.

E quando estão consideravelmente fortes e desejam proteger suas mãos, talvez apostem algo aproximado ao valor total do pote.

Se você perceber um padrão assim, pode decidir dar check-raise quando seu oponente fizer uma aposta menor e desistir quando ela for maior.



Aproveite flops "secos"

Um flop seco é aquele que normalmente ajuda poucas mãos. Por exemplo, 7 2 2 é um flop extremamente seco. Não há flush ou straight draws e, para ter uma mão realmente forte, você precisa possuir a carta com a qual as pessoas raramente aumentam pré-flop, um dois.

Seu oponente está mais propenso a não ser ajudado por um flop seco do que por um coordenado (Q 10 8, por exemplo) e, portanto, é mais provável que seu blefe seja bem-sucedido.

De fato, 7-2-2 talvez seja um flop demasiado seco para se blefar (embora ele não precise ser perfeito para um check-raise ser executado). Ele possui dois problemas.

Primeiro, seu oponente provavelmente vai ter pelo menos duas cartas mais altas que as do flop, o que pode ser suficiente para convencê-lo a continuar. Segundo, seu oponente, se estiver raciocinando, vai saber que é difícil você ter se beneficiado com o flop também, podendo suspeitar de um blefe e querer se vingar.

Um flop como K 7 3 é um pouco menos seco, mas consiste em uma ótima oportunidade de blefe. Se seu oponente não tiver um rei ou uma ótima mão, você provavelmente o fará desistir se as demais condições estiverem presentes (seu oponente deve ter uma grande gama de mãos, os tamanhos dos estoques são certos e talvez a c-bet dele tenha sido fraca).



Um blefe check-raise assustador

Voltemos àquele jogador loose-aggressive do exemplo inicial, que abriu raise de $8 no cut-off em uma mesa $1-$2 com estoques de $200. Você paga no big blind com K Q. O flop vem J 7 7. Você pede mesa, seu oponente aposta $10 e você aumenta para $35. Ele desiste instantaneamente.

Esse blefe bem-executado funcionou porque:


1. Seu oponente loose podia ter uma ampla gama de mãos iniciais fracas.

2. Os tamanhos dos estoques ameaçavam seu oponente com uma grande perda se você na verdade mostrasse o 7 que estava representando.

3. O tamanho da continuation-bet de seu oponente não demonstrou confiança na força da mão dele.

4. O bordo era seco e só podia ajudar uma pequena percentagem das mãos possíveis de seu oponente.


Mantenha essas diretrizes em mente e em breve você irá ganhar sua parcela de potes quando jogar fora de posição.


Artigo de Ed Miller, publicado na revista Card Player Brasil Ano 2, N°. 13.




Gostou do artigo? Deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos.