Facebook Popup Widget



   Artigos

 Dicas de Poker no facebook Dicas de Poker no Twitter Clube Dicas de Poker

12/12/2009


Uma mão bastante educativa
(por Bob Ciaffone)


Raciocínio extremamente pessimista.


Na maioria das vezes, um novo aluno meu erra ambos os lados de uma jogada correta, às vezes sendo muito atrevido e outras sendo muito cauteloso. Contudo, o aluno que me deu essa mão para análise não se enquadra nesse padrão. Em vez disso, ele tem o problema constante de ser extremamente pessimista. Como resultado, ele ganha menos dinheiro do que deveria, muito embora em certas mãos ele possa conseguir um resultado melhor do que alguém com uma visão mais positiva. Eis aqui uma mão que ele me enviou, com meus comentários inseridos em vários pontos (nossa correspondência foi levemente editada para melhor clareza).


Aluno:
Eu estava jogando um cash game de no-limit hold'em de $1-$2. Meu estoque era de cerca de $600. Meu oponente, o Jogador A, tinha $280. Eu paguei do button com 8-5 do mesmo naipe. Cinco jogadores viram o flop. O small blind tinha desistido, então havia $13 no pote. O flop veio Q-7-6, com duas cartas de copas e uma de ouros. Eu consegui duas pontas para a sequência. O Jogador A apostou $15. Eu paguei e os outros desistiram. Eu tinha a intenção de descartar no turn se não conseguisse a sequência e ele apostasse de novo.

Meu comentário: Se uma carta do flush surgir e ele pedir mesa ou fizer uma aposta fraca, você provavelmente deve tentar tomar o pote dele.



Aluno:
O turn foi o 9, dando a mim a segunda melhor sequência e colocando dois flush draws na mesa. O Jogador A apostou $40. Eu pensei bastante. Minha primeira inclinação era dar all-in para acabar a mão ali mesmo. Contudo, como não houve aumento pré-flop, eu achei que o Jogador A poderia estar jogando com 10-8. Achei que seria muito perigoso colocar todo meu dinheiro no pote, pois eu poderia me deparar com uma mão que me deixaria com três outs para um empate e nenhuma vitória.

Meu comentário: Seu raciocínio é muito pessimista. Você deve pensar assim: "O cara tem apenas $225 restantes, então eu não posso falir se tiver a má sorte de me deparar com o nuts. Se ele tiver tido sorte suficiente para acertar o nut straight, não há como eu detectar isso, pois ele pode ter muitas outras mãos. Portanto, irei jogar a mão presumindo que ela é boa, e usar o método mais adequado para ganhar todo o dinheiro dele. Eu preciso aumentar aqui, para fazer com que ele pague caro se tiver um draw e para evitar que eu perca meu cliente no river".



Aluno:
Eu achei que, como o Jogador A estava apostando, era menos provável que ele tivesse um flush draw. Achei que ele tinha um par de damas ou conseguido uma sequência maior. Eu provavelmente deveria ter achado que ele não apostaria no flop se tivesse jogado com 10-8, mas só pensei nisso no dia seguinte.

Meu comentário: Esse deveria ter sido outro fator em seu raciocínio. As chances de seu oponente ter o nuts caem pela metade se as chances de ele pedir mesa com o nuts eram de apenas 50%. Alguns jogadores habitualmente agem como se não tivessem nada quando têm o nuts, então enfrentar um deles lhe deixaria muito confortável aqui.



Aluno:
Na hora, eu não levei em consideração que ele pudesse ter uma trinca. Decidi apenas pagar a aposta de $40. Minha lógica era que, muito embora eu estivesse permitindo os flush draws, ele provavelmente não tinha um e, se tivesse a melhor sequência, apostaria menos no river e eu pagaria.

Meu comentário: Apenas pagar foi uma decisão terrível, embora aparentemente tenha economizado seu dinheiro.



Aluno:
O river foi a Q, virando um par no bordo. Isso não pareceu significante para mim na hora. O Jogador A pensou durante bastante tempo e apostou $50. Eu achei que ele tivesse três damas ou a melhor sequência. Eu paguei os $50. Meu oponente mostrou um par de setes, que formavam um full house. Eu deveria ter aumentado no turn? Você concorda que, se eu tivesse aumentado, deveria ter ido all-in para cobrar todo o estoque do Jogador A?

Meu comentário: Você deixou que ele seguisse com um draw sem cobrá-lo por isso. Eu teria aumentado all-in. Se você estiver usando a análise certa e não soubesse a carta do river, veria que um raise all-in é claramente a jogada certa. Se seu oponente está tentando formar um draw que pode lhe derrotar, como estaria com uma trinca ou um flush draw, o all-in faria com que ele desistisse ou comprometesse todo o dinheiro quando você era o favorito substancial a ganhar o pote. Além disso, você evita ter que adivinhar o final, e priva-o de poder apostar com a mão dele caso ele a complete.



Aluno:
Aumentando eu teria colocado um preço que faria com que o Jogador A desistisse ao full house draw, mas eu estou bem certo de que ele teria pagado e eu teria perdido mais dinheiro. Porém, eu teria feito a jogada matematicamente correta.

Meu comentário: Sim, é pouco provável que ele descartasse uma trinca, pois, aos olhos dele, você poderia ter dois pares ou um draw forte. Portanto, ele teria duplicado o estoque nessa mão. Contudo, você jamais deve julgar se sua jogada foi correta com base no resultado, mas pelas probabilidades no momento em que o dinheiro entra.



Aluno:
Se meu objetivo era acabar a mão ali com meu aumento all-in, o que você acha da ideia de eu revelar minhas cartas quando desse raise durante esse heads-up? A cardroom em que estávamos permite que as pessoas façam isso. Se ele tivesse a sequência com 10-8, pagaria de qualquer maneira; caso contrário, ele saberia que estava tentando um draw pagando o preço errado.

Meu comentário: 'Argh'. Se ele estiver pagando o preço errado, como estaria aqui, você quer que ele pague. E mostrar sua mão lhe custaria muita equidade caso ele fosse pagar com quaisquer dois pares. Você não pode jogar poker (ou qualquer outro jogo) com a postura de que não vai 'baralhar' se existir uma maneira de garantir um pequeno lucro, mesmo quando poderia ter uma expectativa positiva no longo prazo ao arriscar uma quantia maior.



Você pode perceber, com essa mão, que os comentários de meu aluno têm o problema de serem pessimistas ao extremo, o que o impede de maximizar seus resultados quando tem uma boa mão (mas não o nuts). E você, tem coragem suficiente para jogar no-limit?


Artigo de Bob Ciaffone, publicado na revista Card Player Brasil Ano 2, N°. 14.




Gostou do artigo? Deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos.