Facebook Popup Widget



   Artigos

 Dicas de Poker no facebook Dicas de Poker no Twitter Clube Dicas de Poker

18/09/2010


As ciladas do slowplay
(por Ed Miller)


Muitos deles são inadequados.


O slowplay talvez seja uma das estratégias mais tentadores do no-limit hold'em. Flope uma mão forte e, nas palavras imortais de Elmer Fudd: "Fique quietinho, quietinho". Isso se ajusta à imagem do poker como um jogo de indução ao erro: mal sabem seus oponentes que você está à espreita, pronto para atacar com o nuts.

A realidade do slowplay, contudo, não é tão atraente. Qual o lado bom de flopar um monstro e não ganhar muito dinheiro com isso? Segundo, embora você possa induzir ao erro quando aposta pouco, ao colocar uma aposta alta, será muito mais fácil de ler do que se fosse mostrado força desde o começo. Duas apostas pequenas seguidas por uma grande é um padrão óbvio de slowplay. Aposte alto três vezes seguidas e eu não saberei se você está forte ou blefando, ou se é simplesmente maluco.

Slowplays têm seu lugar, mas muitos deles são inadequados. Com isso em mente, vamos examinar uma mão que um leitor postou em meu fórum de mensagens: era uma mesa 50¢-$1 em que a maioria dos jogadores tinha estoques de cerca de $100, com exceção do big blind, que tinha apenas $20. Uma pessoa entrou de limp antes de o nosso herói, no button, fazer a mesma coisa com 7 6. O small blind completou e o big blind pediu mesa.

O flop veio 7 6 5, dando a nosso herói dois pares em um bordo bastante coordenado. O small blind apostou $2 no pote de $4, o big blind deu call, assim como o limper e nosso herói.

O turn foi o 7, completando um possível flush draw, mas dando a nosso herói o nut full house. O small blind apostou $4 no pote de $12, o big blind pagou e o limper deu mini-raise de $8. Nosso herói pagou os $8, o small blind também, então o big blind foi all-in com mais $9. O limper pagou o aumento de $9, e chegou a vez de nosso herói falar.

Eu teria jogado a mão de maneira bem diferente, dando alguns raises antes de chegarmos até aqui.

O limper tinha um cacife completo, e nosso herói tinha suited connectors sendo o button. Eu teria aumentado pré-flop com essa mão. Suited connectors não acertam boas mãos com frequência, mas flopam draws, então formam boas mãos para semiblefes.

Quando você é o button e recebe suited connectors, em geral, vai se beneficiar ao máximo com ele em um pote médio contra um ou dois jogadores. Vale a pena usar a vantagem da posição e os estoques remanescentes para roubar mais potes.

Entrar de limp e tentar acertar uma mão não é uma boa maneira de jogar, pois você simplesmente não vai conseguir uma mão vezes suficientes para que isso seja lucrativo.

Dentre as exceções para aumentar pré-flop está a situação em que o jogador que já entrou no pote é excepcionalmente loose e insano. Mas se ele for "normal", que dá fold com frequência diante de continuation-bets no flop e no turn, acho que um raise de cerca de $4 ou $5 normalmente dá os melhores resultados gerais.

Depois de entrar de limp, nosso herói ficou em um pote pequeno com quatro pessoas na disputa. O flop deu a ele dois pares em um bordo bastante coordenado. Pode parecer uma situação vulnerável, mas, contra oponentes típicos, essa mão se dá relativamente bem. Nosso herói tinha posição.

Muitas das outras mãos que jogariam contra ele eram draws — um par e um straight draw, um flush draw e assim por diante — e um top pair duplo provavelmente tinha uma vantagem de equidade contra essas mãos. O pote ainda era pequeno, então nosso herói podia dar um raise sem se comprometer ainda. Eu aumentaria uns $12-$15 e veria o que acontece.

Porém, não é uma aposta certa. Um ou dois jogadores poderiam pagar, uma carta ruim poderia surgir no turn e nosso herói se encontraria em uma situação precária. Mas eu acho que ele pode se confiar em sua posição. Ele pode pedir mesa diante de uma carta ruim no turn e induzir um blefe no river.

Nós sabemos que nosso herói deu call. Uma carta excelente (talvez perfeita) surgiu no turn. Ele agora tinha o top full house, e só perderia para um straight flush. Ele precisava aumentar, aumentar, aumentar! Não há razão para apenas pagar ou dar mini-raises.

Ele tinha uma mão excelente, e havia uma aposta, um pagamento e um aumento na frente dele. Ele poderia estar enfrentando um 7, uma sequência pronta ou um flush, e poderia obter grande valor de qualquer uma dessas mãos. Nosso heroi deveria ter tentado fazer o dinheiro entrar. Ele jogou mal por três razões:


1. Se não houver reraises no turn, o pote vai ficar artificialmente pequeno e nosso herói vai ter apenas uma aposta remanescente para conseguir valor com sua mão. Se ele estiver enfrentando outra mão grande e der reraise no turn, vai conseguir muito de seu oponente. É muito menos provável que ele consiga isso de outra mão grande caso espere pelo river.

2. Se alguém tiver o A, é provável que pague pra ver o turn, mas não dará call se nada aparecer no river (coisa que faria cerca de 80% das vezes). Se alguém tiver acertado uma trinca, uma sequência ou um flush e uma quarta carta de espadas surgir no river, nosso herói vai perder ação dessas mãos prontas.

3. Se alguém voltar reraise no turn (como aconteceu) e nosso herói puder reaumentar novamente, seu estranho call-reraise vai entregar o força de sua mão. Se eu tivesse um flush nesse bordo e visse alguém pagando uma aposta pequena e depois fazendo um reaumento enorme quando a ação voltasse até ele, ficaria em alerta para um full house: porém, se o jogador aumentasse imediatamente, eu daria crédito a ele para uma gama mais ampla de mãos, incluindo trincas, straights e flushes menores. Eu poderia me envolver na ação direta, mas sair do caminho diante de um call-reraise suspeito.


Então, na primeira ação de nosso herói no turn, eu teria feito um aumento bastante sólido, de talvez $30 ou $40.

Leve em conta o plano geral para a mão. Nosso herói deu call (em vez de raise) pré-flop, querendo flopar uma grande mão e ser pago. O flop foi bom, mas ele foi cauteloso. O turn foi perfeito, e ele ainda assim fez slowplay.

Nosso herói está jogando com suited connectors para flopar algo grande, mas quando isso acontece, não consegue valor. Se ele jamais aumentar com essa mão, como vai fazer com que o call pré-flop especulativo valha à pena no longo prazo?

Em no-limit hold'em você precisa aproveitar a posição, fazendo uso de semiblefes para ganhar potes de seus oponentes e conseguir valor com suas mãos grandes. Cada um desses fatores requer agressividade no momento certo. Se você entrar muito de limp, vai perder muitas mãos de $1. Quando você exagera no slowplay, ele acaba não ganhando o suficiente com suas boas mãos para compensar constante vazamento de $1.


Artigo de Ed Miller, publicado na revista Card Player Brasil Ano 2, N°. 21.




Gostou do artigo? Deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos.