Facebook Popup Widget



   Artigos

 Dicas de Poker no facebook Dicas de Poker no Twitter Clube Dicas de Poker

26/09/2010


Vencedores induzem ao erro de forma criteriosa
(por Alan Schoonmaker)


Aprenda quando e como induzir ao erro.


O engano é essencial no poker, mas muitas pessoas não analisam quando e como devem induzir ao erro. Elas fazem o que as deixa confortáveis, não o que garante melhores resultados. Alguns jogadores adoram blefar tanto que fazem isso com muita frequência, mesmo contra "pagadores". Outros fazem slowplay ou tentam fazer check-raises, ou não blefam o suficiente contra "rochas".

Decidir quando e como induzir ao erro depende primeiramente das habilidades e estilos de jogo de seus oponentes. Este material é de meu livro Psicologia do Poker.



Contra Jogadores Loose-Aggressive (JLAs)

Não tente blefar contra eles.

Não tente roubar seus blinds ou bring-ins. Você pode ganhar muito pouco, mas perder bastante.

Aposte, aumente ou faça check-raise pelo valor contra eles nas streets finais. Se você achar que tem a melhor mão, abuse.

Convide-os a blefar. Eles adoram fazer isso.

Dê check-raise com  frequência. Um check-raise é menos arriscado e mais lucrativo contra eles do que qualquer outro jogador. O perigo de todo mundo pedir mesa depois de você é obviamente reduzido, e muitas pessoas vão pagar se ele apostar.

Faça slowplay com mãos grandes. Deixe os JLAs construírem o pote, pois mais pessoas vão pagar as apostas deles do que as suas.



Contra Jogadores Loose-Passive (JLPs)

Aposte e aumente pelo valor com mãos fracas ou questionáveis. Você pode apostar pelo valor com mãos bem fracas, porque eles vão pagar até mesmo com algumas muito fracas.

Não blefe.

Não tente dar check-raises, pois eles em geral vão pedir mesa depois de você.

Não faça slowplay com grandes mãos. Como eles podem não apostar ou aumentar, você vai perder mais dinheiro nessa rodada e aumentar a chance de alguém acertar um draw que lhe derrote.



Contra Jogadores Tight-Passive (JTPs)

Não dê check-raises. Eles provavelmente vão pedir mesa depois de você, a não ser que lhe derrotem.

Não faça slowplay com grandes mãos.

Blefe e semiblefe com frequência, mas seletivamente. Eles são as pessoas mais fáceis de blefar, pois largam mãos relativamente boas. Mas se lembre de que eles pedem mesa com mãos com as quais a maioria das pessoas aposta. Se você blefar porque eles pediram mesa, pode se chocar ao ver uma boa mão.

Roube os blinds ou antes deles. Um JTP quase nunca dá call. Se ele pagar, é improvável que aposte, pois tem medo de seu aumento, e você tem chances de acertar um draw.



Contra Jogadores Tight-Aggressive (JTAs)

Como a maior parte dos oponentes mais difíceis é tight-aggressive, você precisa induir ao erro. Caso contrário, eles vão ler você e lhe superar. Para dicas específicas, leia o livro de Barry Tanenbaum, Advanced Limit Hold'em Strategies. Meu livro deu apenas algumas recomendações gerais.

Varie seu jogo. Ser previsível pode ser mortal contra eles. Se você não variar seu jogo, eles logo aprendem a ler você, depois lhe derrotam sem misericórdia.

Faça menos blefes puros, mas esteja disposto a semiblefar. Geralmente é mais fácil blefar contra bons jogadores do que ruins, mas bons JTAs estudam os jogadores intensamente. Eles lêem bem as tells e tem autoconfiança suficiente em sua habilidade para pagar com mãos fracas. Talvez esse JTA não consiga ler você. Tente algumas vezes e siga as diretrizes para blefar contra JTPs. Se seu blefe funcionar, ótimo. Caso contrário, você foi avisado.

Não aposte pelo valor com mãos marginais. Como um JTA não estaria ali sem boas cartas, ele pode muito bem lhe derrotar. Se ele tiver uma mão melhor, provavelmente irá aumentar. Se você tiver a melhor, ele provavelmente irá desistir. Um bom JTA pode fazer jogadas que lhe induzem a cometer erros.

Dê check-raises com menos frequência. A lógica é a mesma da dos JTPs, mas é ainda mais forte devido ao perigo de um reraise. Como eles são tight, podem pedir mesa depois de você. Se apostarem, podem lhe derrotar. Pior ainda, se apostarem e você aumentar, eles podem reaumentar. Se sua mão merece uma aposta, vá em frente e faça isso.

Não tente roubar os blinds deles. Como JTAs não superprotegem seus blinds, suas tentativas de roubar geralmente vão ser bem-sucedidas. Contudo, quando falham, podem custar muito caro. Se um JTA paga, você fica cara-a-cara com um jogador difícil, e suas cartas são fracas. Esse é o último lugar em que você quer estar.



Quando e Como Você Deve Blefar?

Blefes de sucesso podem ser as mais divertidas formas de indução ao erro. Ganhar sem uma mão dá uma sensação muito melhor do que ganhar com uma. Para conseguir essa adrenalina, muitos perdedores blefam nos momentos errados e das maneiras erradas. As emoções superam sua motivação de lucro.

As informações seguintes são do livro de Matt Lessinger, O Livro dos Blefes, o trabalho definitivo sobre blefes. Como citações e paráfrases estão misturadas, eu omiti as aspas.

Primeiro e mais importante, a razão risco/recompensa (RRR) deve influenciar todas as suas decisões. Leve em conta três coisas:

1. Quanto lhe custa para blefar?

2. Quanto você vai ganhar se o blefe der certo?

3. Quais são suas chances de sucesso?

As perguntas nº 1 e nº 2 são geralmente fáceis de calcular, e Matt se concentra no nº 3, suas chances de sucesso. Ele lhe diz:

Quando blefar lhe ensinando a analisar fatores como os estilos de jogo, padrões de call e tells de seus oponentes.

Como blefar com muitos exemplos e seus Doze Provérbios do Blefe.


Todos eles são valiosos, mas eu posso discutir apenas três deles:

Nº 7: Indecisão leva ao erro. Você deve ser forte. Qualquer indecisão vai atuar contra você.

Nº 8: Um bom blefe conta uma história que a vítima acredita e compreende. Deixe a vítima ficar confiante em seu fold. A curiosidade geralmente provoca calls.

Nº 11: Você não pode ter medo de arruinar um blefe fracassado. Algumas pessoas evitam blefar por medo do constrangimento. Você tem que superar esse medo, porque — para jogar um poker ideal — muitos de seus blefes vão falhar.


O que importa é a quantidade de dinheiro que você ganha com os blefes que funcionam em comparação com o quanto você perde com os mal-sucedidos.

Sua questão primária sobre o blefe deve ser a mesma sobre todo o resto: que efeitos isso vai ter em seus lucros? Em outras palavras, blefe por lucros, não por diversão.



Leis dos Vencedores

Induzir ao erro de forma criteriosa é a grande diferença entre vencedores e perdedores. Muitos perdedores jogam muito sem criatividade ou fazem muitas jogadas complicadas por diversão. Quaisquer desses comportamentos prejudicam muito os objetivos deles. Como as emoções podem ter efeitos muito destrutivos sobre suas decisões, essas Leis dos Vencedores enfatizam o modo como você pensa e sente sua indução.


1. Aceite que a indução ao erro é tanto válida quanto necessária.

Você não pode ganhar sequer contra jogadores moderadamente competentes até aceitar essa realidade. Se você se sentir inibido quanto a induzir o oponente a errar, vai perder para qualquer um que saiba jogar.


2. Analise constantemente suas próprias motivações.

Pergunte-se repetidamente: Por que eu estou induzindo ao erro ou sendo previsível? Se você estiver fazendo isso por diversão ou por causa de inibições, provavelmente está perdendo fichas.


3. Induza ao erro ou seja previsível apenas quando isso aumentar seus lucros no longo prazo.

Esqueça a culpa quanto a induzir ao erro, seu medo de parecer tolo, e a adrenalina que sente executando jogadas complicadas. Faça o que for preciso para melhorar seus lucros no longo prazo. Como você pode ter que comprometer seus lucros no curto prazo, certifique-se de que seus sacrifícios valham à pena.


Artigo de Alan Schoonmaker, publicado na revista Card Player Brasil Ano 2, N°. 21.




Gostou do artigo? Deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos.