Facebook Popup Widget



   Artigos

 Dicas de Poker no facebook Dicas de Poker no Twitter Clube Dicas de Poker

13/10/2010


Quando eu sei que sou incrível?
(por Ed Miller)


Seus resultados são irrelevantes.


É uma pergunta comum que toma muitas formas. "Quantas mãos eu tenho que jogar antes de saber se sou um vencedor?" Essa é a forma mais padrão da pergunta. "Se eu ganhei $12 a cada 100 mãos durante as últimas 10.000 mãos, isso significa que eu posso subir de limite?" Um pouco mais agressiva.

Algumas pessoas perguntam de modo inverso. "Qual a maior má fase que eu posso enfrentar?" Ou "Eu sou um perdedor se não ganhei nas últimas cinco vezes que joguei?"

Outras vêm de uma direção ligeiramente diferente. "Quão grande deve ser meu bankroll para jogar em meu limite atual?" Ou, sem pensar em resultados: "Quando eu saberei se sou um bom jogador?"

É uma pergunta difícil de ser respondida, e que assombra jogadores tanto novatos quanto experientes. Eu tenho uma resposta que funcionou bem para mim e para muitos outros jogadores de sucesso que conheço. Ela pode não ser o que você espera.

A maioria das pessoas quer uma resposta fácil. "Se você ganhar pelo menos $X em Y mãos, você vale ouro. Vá para a Ilha de Man, jogue em 18 mesas de $10-$20 ao mesmo tempo e comece a contar seu dinheiro aos milhões". Não é assim que funciona.

É verdade, não é assim que funciona mesmo. Eu diria que a maior parte dos aspirantes a jogadores sofrem com a psicologia do jogo mais do que com qualquer outra coisa. Todo mundo pode aprender mais ou menos com que mãos aumentar pré-flop. Todo mundo pode descobrir que essa mão é boa e que aquela não é. E a maioria das pessoas parece ser capaz de aprender pelo menos um pouco de leitura de mãos. Mas algumas pessoas jamais conseguem tirar de suas cabeças o tormento das variações.

Como jogo social que é, o poker é também bastante solitário. Você aproveita suas vitórias e sofre suas derrotas sozinho. Ninguém sabe o quanto você ganhou ou perdeu hoje, essa semana ou esse mês. Pior: ninguém se importa. E eu realmente quero dizer ninguém. Nem mesmo sua mãe se importa. Quando eu jogo poker, minha esposa não se importa como foi meu desempenho. Meus amigos não se importam. Ninguém se importa.

Além disso, é muito difícil conseguir feedback decente. "Eu estou fazendo a coisa certa?" Você não pode olhar para seus resultados... há muita variação para se chegar a uma conclusão. Você não pode perguntar a seus amigos... pois eles podem ser idiotas. Você pode postar mãos na Internet, mas até mesmo lá você não obtém um resultado satisfatório.

Então, você jogou durante semanas ou meses, ou até anos. Você ganha às vezes e perde às vezes. Ninguém que você conhece realmente se importa. E você não consegue descobrir se está no caminho certo.

"Tem alguém aí?" (Eco) "Eu estou fazendo a coisa certa?" (Eco) "Alguém pode me escutar?" (Eco). A solidão é suficiente para enlouquecer jogadores de poker. E é suficiente para destruir seus jogos também.

Eis como eu encaro isso: o poker não é um jogo social — não se você quiser jogá-lo bem. Aprender a jogar poker bem é um exercício solitário. É um exercício de espiritualidade introspectiva. Não há uma boa maneira de medir se você é um bom jogador ou não. Isso tem que vir de dentro.

Eu encaro isso como aprender uma arte marcial. Estou estudando algo que vai me tornar uma pessoa melhor. Estou sempre aprendendo. Eu nunca o dominei completamente, nem jamais dominarei. Eu sou mais habilidoso do que algumas pessoas e menos habilidoso do que outras. Algumas coisas eu aprendo rapidamente, e outras eu aprendo lentamente. É uma tarefa de uma vida inteira.

Todo dia eu aprendo algo novo. Minha habilidade melhora e minhas decisões se tornam mais afiadas e mais rápidas. E todo dia eu me preparo para aprender ainda mais no dia seguinte. Todo dia eu dou um novo passo, e mesmo assim nunca chego ao fim. Eu posso apenas ficar satisfeito com onde cheguei e estar preparado para a jornada adiante.

O dinheiro que você ganhou ou perdeu é irrelevante. É irrelevante mesmo. Eu sei que algumas pessoas dizem: "Dinheiro é como os jogadores de poker contam o placar", mas isso é bobagem. Você contabiliza seu próprio placar. Você está feliz com o quanto aprendeu? Você está preparado para aprender mais? O que você acha que dominou, e que desafios ainda vai enfrentar?

Você deve subir de limites? Minha resposta é essa: "Se você puder jogar e ganhar, ou jogar e perder, e não se importar com o que aconteça, você está preparado para subir de limites".

Você é melhor que seus oponentes? Só você pode saber. Que habilidades você dominou? Seus oponentes as dominaram ou ainda estão sofrendo para aprendê-las?

O poker é um desafio psicológico. Ele vai lhe testar todo dia. Vai testar sua habilidade de lidar com o fracasso e vai testar sua habilidade de aceitar o sucesso com humildade e temperança. Você não pode esperar ser bem-sucedido nesses desafios se não for interiormente forte e autoconfiante. Como você se sente a respeito do modo como joga? O que você acha que precisa aprender? E você está preparado para jogar hoje e aprender isso?

Se você for novo no poker, sem dúvida já viu muitos "figurões" do poker com grandes egos que falam demais. Esses jogadores são idiotas, cada um deles. Não importa quão alto eles estão voando hoje, pois o poker eventualmente vai derrotá-los. Eles não compreendem o poker e, eventualmente, sua falta de compreensão vai fazer com que se deem mal.

Os melhores jogadores, aqueles que permanecem durante toda uma vida, são humildes. Eles são talentosos, mas todo dia querem mais habilidade, mais conhecimento. Não importa se eles ganham hoje ou perdem, pois vão jogar novamente amanhã, e no dia seguinte, e no outro dia. Se eles não ganharem essa semana, vão ganhar na próxima. Se não ganharem esse mês, vão ganhar no próximo. Se não ganharem esse ano, essa década, vão ganhar no próximo ano, na próxima década. Eles vão aprender e adquirir habilidades todo dia até se tornarem "invencíveis" — e é aí que serão derrotados.

Seus resultados são irrelevantes. Se você simplesmente não consegue aceitar isso, desça de limites até conseguir. Seus resultados são irrelevantes. E o que importa é que você esteja melhor hoje do que estava ontem. Só então você vai se tornar incrível.


Artigo de Ed Miller, publicado na revista Card Player Brasil Ano 2, N°. 22.




Gostou do artigo? Deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos.