Facebook Popup Widget



   Artigos

 Dicas de Poker no facebook Dicas de Poker no Twitter Clube Dicas de Poker

16/11/2010


Vencedores são seletivamente agressivos
(por Alan Schoonmaker)


A base estratégica do poker.


Quando eu era adolescente, li um livro de John Scarne que me ajudou a me tornar um jogador vencedor. Eu não me lembro ao certo do título, mas memorizei três frases, e lhe encorajo a memorizá-las:

"Quando você não tiver nada, saia..."

"Quando você estiver derrotado, saia..."

"Quando você tiver a melhor mão, faça seus oponentes pagarem".

Obviamente, você sempre deve levar em contar as pot odds e o EV. Se estiver derrotado, mas as pot odds tornarem a jogada +EV, deve-se pagar. Mas o princípio básico está correto: espere até você ter uma boa mão, então ataque com ela.

Nos meus jogos da adolescência, quase todo mundo pagava passivamente com muita frequência, e quase nunca aumentava. Eles jogavam com mãos boas quase da mesma maneira como jogavam com as ruins. Hoje, muitos perdedores jogam do mesmo jeito.


Essas formas estão correlacionadas. Se você selecionar a mesa errada ou atacar os oponentes errados, os melhores jogadores vão lhe derrotar do mesmo jeito. Irei discutir cada uma separadamente, mas tentarei combinar as quatro.



Espere Pelas Cartas Certas, Então Jogue Agressivamente Com Elas

Se você sempre pagar com cartas fracas ou medianas, mas não atacar com força suficiente quando tiver as vencedoras, vai perder lentamente.

Alguns jogadores são promiscuamente agressivos. Eles atacam com muita frequência com mãos fracas ou derrotadas. Eles ocasionalmente ganham, mas em geral perdem muito.

Ser seletivo reduz suas perdas com mãos perdedoras porque você as larga depressa. Apostar e aumentar com agressividade lhe protege de draws e aumenta os lucros de suas mãos vencedoras.

É preciso disciplina para ser seletivamente agressivo. Você veio jogar, não ficar sentado, mas tem que descartar mão após mão. Então, quando a oportunidade certa surgir, você deve suprimir seus medos e instintos de piedade, para atacar ferozmente.

Um estilo tight-aggressive não é nem um pouco natural. Como eu disse em A Psicologia do Poker (Raise Editora, 2009, página 26): "A capacidade de jogar tight e outras qualidades afins como cautela e controle, em geral não são vistas juntamente com a agressividade. De fato, você quase nunca verá essa combinação, senão em profissões altamente especializadas, como pilotos de caça ou policiais das tropas de elite".

"Para se tornar um jogador tight-aggressive você precisa, além da personalidade certa e de muito estudo, de uma disciplina extrema".



Ataque Quando Você Tiver Boa Posição

Quanto mais jogadores tiverem falando antes, mais forte você estará. A posição lhe permite agir mais agressivamente em cada street. Por exemplo, do button, você pode:

- Aumentar pré-flop com pares pequenos e suited connectors depois de vários limpers. Se você acertar o flop, sua mão está bem escondida, e é possível conseguir muita ação. Se o flop não lhe beneficiar, mas parecer perigoso, você pode blefar com sucesso. Também pode ganhar uma carta grátis, pois muitas pessoas "pedem mesa até aquele que aumentou".

- Dar raise no flop com um draw, depois ver uma carta grátis no turn.

- Semiblefar no turn com uma mão marginal, depois blefar ou pedir mesa no river.

Como você está mais forte, deve ser mais agressivo em posições finais do que em iniciais.



Selecione Mesas em Que Possa Vencer

A escolha das mesas é a forma mais importante de agressividade seletiva. Se você selecionar as certas, vai ganhar; se escolher as erradas, perderá.

A maioria das pessoas que eu conheço — inclusive profissionais e autores — não acreditam nisso. Eles podem assentir com a cabeça e dizer: "Eu concordo", mas na verdade não acreditam. Se acreditassem, trabalhariam mais esse fator, mas praticamente todo livro ou discussão de poker dedica muito mais páginas ou muito mais tempo a como jogar mãos do que a como selecionar mesas.

Selecionar as certas terá um impacto bem maior sobre seus resultados do que qualquer outra coisa que faça, e é preciso obviamente aprender que tipos de jogos são melhores para você.

Se os vencedores não conseguirem achar uma mesa que possam derrotar, não jogam. Eles aplicam o velho ditado: "Não vale de nada ser o 10º melhor jogador do mundo se os nove melhores estão em sua mesa".

O mesmo princípio se aplica à escolha dos limites. À medida que eles sobem, os jogos ficam mais difíceis. Os vencedores se comparam realisticamente aos concorrentes e selecionam os limites que lhes dão a vantagem mais lucrativa. Se uma mesa mais barata parecer mais lucrativa que a usual deles, eles mudam de jogo.

Vencedores também procuram mesas que favoreçam seu estilo de jogo. Eles mantêm registros que lhes mostram que, por exemplo, ganham mais em mesas shorthanded do que em full table, ou que eles se dão mal contra jogadores muito agressivos. Portanto, jogam no tipo certo de mesa. A maioria dos jogadores não sabe que jogos os favorecem. Eles simplesmente se sentam em qualquer assento livre.

Alguns perdedores chegam até a procurar jogos difíceis. Eles encaram o poker como uma competição machista, como a batalha entre Edward G. Robinson e Steve McQueen em A Mesa do Diabo (The Cincinnati Kid, EUA, 1965). Eles jogavam primariamente não por dinheiro, mas por orgulho, tentando mostrar quem era melhor.

É divertido assistir a confrontos assim, mas eles raramente ocorrem, pelo menos não entre vencedores. Se houver jogadores fracos suficientes, os vencedores vão se evitar mutuamente. Não se trata de "cortesia profissional". Os vencedores simplesmente dão mais valor ao dinheiro do que ao machismo.

Jogadores de elite se enfrentam em torneios, mas essencialmente estão em busca do "dinheiro morto": os milhares ou milhões de dólares dos buy-ins dos jogadores mais fracos. Sem isso, muitos profissionais evitariam torneios, pois não é lucrativo enfrentar uns aos outros.

O dinheiro morto dos jogadores mais fracos também impulsiona as mesas mais caras. Os experts empurram as fichas esperando por um fish rico. O cash game de Barry Greenstein "é um jogo que mantém um padrão de vida que custa mais de $1 milhão por ano".

Ele afirmou: "Você deve querer jogar com jogadores ruins e ricos porque essa é a melhor maneira de ganhar mais dinheiro. Eu percebo que muitos jovens jogadores querem provar o quanto são bons e, por causa disso, não selecionam boas mesas... Para mim, no poker não importa provar que eu posso derrotar qualquer um. O que importa é pagar as contas" ("Capture a Bandeira", CardPlayer Brasil, Ed. 10).

Pergunte-se: "Eu quero provar alguma coisa ou ganhar dinheiro?" Se você quiser ganhar dinheiro, deve ser seletivamente agressivo acerca de tudo, especialmente seleção de mesas e ataque aos jogadores mais fracos. Minha próxima coluna vai discutir como é menos desafiador, mas bem mais lucrativo, atacar jogadores fracos.


Artigo de Alan Schoonmaker, publicado na revista Card Player Brasil Ano 2, N°. 23.





Gostou do artigo? Deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos.