Facebook Popup Widget



   Artigos

 Dicas de Poker no facebook Dicas de Poker no Twitter Clube Dicas de Poker

08/06/2013


Um blefe que funciona muito bem
(por Marcelo Martins)


Olá, pessoal!

Hoje falarei um pouco sobre blefes. Na verdade, um tipo específico de blefe que funciona muito bem, principalmente quando utilizado por jogadores "iniciantes". Coloquei aspas no "iniciantes" porque me refiro aqui àqueles jogadores que já dominam muito bem as regras do Texas Hold'em, jogam um jogo sólido tight-agressive, estão tentando melhorar o seu jogo, mas ainda sentem um certo receio na hora de blefar.

Geralmente, quando começamos a adentrar no mundo das estratégias, a reconhecer os outros jogadores, qualificando-os como tight/loose, agressive/passive, nós mesmos começamos a formar o nosso próprio estilo de jogo.



Qual o seu estilo?

A maioria dos jogadores começa seguindo o lema tight is right, o que não é uma má ideia, pois jogando mãos fortes e em posição diminuímos bastante a chance de encontrar situações difíceis, sendo certo que num jogo de no-limit hold'em qualquer vacilo pode custar todo o nosso stack.

O problema dessa estratégia é que, jogando apenas as mãos top, fica muito fácil para os adversários mais atentos saberem o que você tem na mão ou, pelo menos, saber quando estão perdendo. Eles simplesmente pensam: "o super tight deu raise, tô fora dessa! Fold!".

Portanto, se você tem esse estilo tight, deve começar a incluir o blefe em seu arsenal. Perca o medo! Sei que é difícil, você sente aquele frio na barriga, fica com aquela poker face, mas, por dentro, reza para conseguir um fold. Até jogando online dá esse temor às vezes, mesmo sabendo que o adversário não pode te ver. A boa notícia é que isso acontece apenas no início, depois que você aprende e incorpora no seu jogo, vira brincadeira de criança.



Preparando o terreno

O blefe que vamos ver agora é baseado totalmente em sua imagem na mesa. Os outros adversários te veem como tight? Que você só está jogando com boas cartas? É isso que você precisa para funcionar perfeitamente. Se você tem uma imagem loose, aí é outra história, e teríamos que escrever outro artigo.

Outro requisito é que o blefe seja aplicado contra um adversário atento, agressivo e/ou experiente, que saiba que você joga com mãos decentes e que é iniciante. Não adianta tentar contra aqueles camaradas que não sabem o que estão fazendo ou que são puros calling stations.

Terceiro requisito: estar em posição e contra apenas um oponente. Esse requisito é de grande relevância e aumentará muito o índice de sucesso de seu blefe, pois estar fora de posição e/ou contra mais de um oponente é ruim em qualquer situação, mas para blefar é pior ainda.



O que fazer na prática?

Na próxima vez que jogar um torneio ou cash game, tente fazer essa jogada. Você está no seu jogo sólido, jogando poucas mãos de qualidade e tal. Você percebe que o jogador Fulano está bastante agressivo, parece entender do jogo e fica sempre entrando de raise a sua direita quando tem oportunidade. Ele acaba de dar um de seus raises e a mesa roda em fold para você.

Você olha suas cartas e vê um J 8 e decide que é um bom momento para se impor contra aquele adversário. Veja que você pode usar quaisquer duas cartas aqui, mas eu, particularmente, prefiro cartas que possam ainda ter algum valor. Um J 8 seria melhor ainda no nosso exemplo; já um 4 2, nem tanto. Todavia, não estamos jogando com as cartas nesse momento.

Pare e pense agora: o que você faria nessa situação se tivesse um AQ ou JJ, ao invés de J8o? Você geralmente dá call e espera o flop ou já dá um raise e tenta levar o pote ali mesmo?

Você pode estar pensando: "por que essa pergunta, Marcelo?".

Acredite, muitos não percebem que uma das melhores formas de blefar é jogar o blefe da mesma forma que você joga normalmente as suas mãos fortes. Parece bobagem, mas o que vejo de gente fazendo o contrário não é mole.

Sempre que o cara tem AQ ou JJ, ou qualquer outra mão que ele acha que é forte, ele dá reraise. Quando ele quer blefar, ele dá call e acha que vai enganar alguém. Será que ele tem medo de dar o mesmo reraise com cartas ruins e quer economizar caso seja pego? Pode até ser, mas aí já é um problema psicológico que podemos tratar em outra ocasião.

Continuando. Se você costuma dar call com AQ e JJ, dê call. Se dá reraise, dê reraise. Mais um parêntesis aqui: eu gosto muito de dar call com AQ em posição, notadamente quando estamos deep em início de torneio ou cash games, porém, muita gente diz que é uma heresia, e que devemos sempre dar 3-bet, mas eu não acredito em dogmas e nem em "sempre/nunca faça isso ou aquilo" (mais um bom assunto para discussão).

Você está com seu J 8, faz a poker face como se tivesse AQ ou JJ, e dá call ou reraise, como visto. Imaginemos que o vilão continue na mão e vocês vão para o flop que mostra:

A 7 3   ou   K 4 2

Ótimo flop para você. Esse tipo é o mais benéfico e que mais se parece com você: um A ou um K seguido de rags. Seu adversário com certeza lhe dará crédito e não pensará duas vezes em foldar a mão (até porque essas são as mãos que você normalmente joga). Assim, se ele der check, aposte. Se ele apostar, reraise nele.

Outra dica importante é quanto ao valor da aposta. Muito fácil. Aposte o valor que você costuma apostar quando tem a mão de verdade.

O negócio é fazer o vilão acreditar que você tem o que representa.

E não é difícil, porque quando você faz essas apostas, você realmente tem a mão (não dessa vez, pois está blefando, mas ele obviamente não sabe).

Preste atenção também à frequência  que você está usando este tipo de blefe. Não se empolgue porque deu certo duas vezes em duas rodadas seguidas. Isso é para ser usado seletivamente.

Faça agora, siga seu jogo normal, passe uma rodada, aplique de novo, passe duas rodadas ou três, de novo, e assim por diante. Não abuse demais, pois os seus adversários podem sacar o que você está fazendo e contra-atacar.



E se o flop não for tão favorável assim?

Mesmo se o flop não bater com A ou K e rags, você pode seguir no seu plano normalmente. A grande sacada aqui é só decidir dar o call ou 3-bet antes do flop se você estiver realmente disposto a apostar blefando no flop, independentemente das cartas (na realidade, essa é a finalidade de todos os blefes).

Seus objetivos nessa mão são blefar, levar o pote sem nada, treinar sua coragem e variar o seu jogo.

Caso o cidadão resolva impor resistência e continuar na mão depois do flop, não tem problema. Apenas faça a poker face de sempre e desista de mão. Não fique desanimado. Espere mais um pouco e tente outra vez. Eu garanto que essa jogada dá certo muito mais vezes do que o contrário, tendo em vista a sua imagem e o seu estilo tight de jogar.



Flop
bônus que pode mudar a sua imagem

Agora imagine que você deu o seu reraise com o J 8 e o flop bate:

A 8 8   ou   8 8 3

Isso é quase um sonho, mas acontece de vez em quando, o que é muito bom.

O que fazer? Siga seu plano normalmente. No flop, aposte ou aumente. A diferença aqui é que vamos torcer para o vilão ter alguma coisa dessa vez e continuar. Ele nunca vai acreditar que você tem a trinca.

Aqui eu até preferiria que ele tivesse um AK da vida no primeiro flop. Imagina só. Ele ainda iria pensar: "Agora peguei esse cara tight, ele deve ter o AQ dele e eu com esse AK!". Por isso eu chamo de flop bônus.

Atenção: caso você vá para o showdown e pegue o camarada nessa mão, sua imagem mudará na mesa. Todos verão que você não é tão tight quando parecia ser e vão tentar se adaptar ao seu "novo" estilo. Veja como a mesa reage e adapte-se você também.


Bom, meus amigos. O artigo ficou meio grande, mas ainda assim não esgota a discussão. É apenas uma dica para vocês diversificarem seu jogo. Se você ainda não blefa, tem medo, não sabe o que fazer, é um bom começo.

Fiquem à vontade para discutir. Criarei um tópico no Clube Dicas de Poker para que possamos falar mais sobre isso. Se você acessa o Dicas de Poker e ainda não é membro do nosso clube, pode ter certeza que será bem-vindo. Registre-se e faça parte das discussões. Estamos aí para aprender e evoluir juntos no poker!

Espero que curtam o artigo.

Um grande abraço,

Marcelo (SorrisoRS).




Gostou do artigo? Deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos.